Costa Do Marfim Captura Líder Extremista

Reading Time: 2 minutes

AGÊNCIA FRANCE-PRESSE

As forças costa-marfinenses capturaram um líder extremista e um grande número de guerrilheiros responsáveis por um ataque contra um posto fronteiriço.

O Ministro da Defesa, Hamed Bakayoko, não indicou o nome do terrorista suspeito, mas disse que ele foi responsável pelo ataque de 11 de Junho de 2020 contra a fronteira com o Burquina Faso, que fez 14 vítimas mortais e seis feridos, dentre o pessoal militar, de acordo com uma reportagem da Al-Jazeera. O ataque que decorreu antes do amanhecer foi atribuído ao Grupo de Apoio ao Islão e aos Muçulmanos. Foi o primeiro grande ataque em solo costa-marfinense desde 2016 e veio pouco depois de uma missão conjunta costa-marfinense-burquinabe para livrar a região fronteiriça de extremistas.

“Iremos mais a fundo à medida que as investigações continuam,” disse Bakayoko. “Saberemos com quem esteve em contacto e quem esteve por detrás.”

Bakayoko deu crédito das prisões das pessoas que participaram no assalto às fotos retiradas de telemóveis.

No dia 18 de Junho, o Exército da Costa do Marfim disse que tinha realizado uma limpeza na zona de Kafolo e no vizinho Parque Nacional de Camoe, um conhecido refúgio de extremistas. As tropas capturaram 27 pessoas, destruíram material logístico e confiscaram equipamento de comunicação.

O ataque sobre Kafolo sacudiu a Costa do Marfim, que apenas recentemente retomou a estabilidade depois de uma década de turbulência. O ataque de 11 de Junho ocorreu na mesma zona onde os dois países fizeram o lançamento de uma operação pioneira conjunta em Maio para acabar com os extremistas.

A operação Comoe, nome atribuído por causa do rio que flui pelos dois países, levou à morte de oito suspeitos terroristas, a captura de outros 38 e a destruição de uma base terrorista em Alidougou, no Burkina Faso, afirmou o Exército da Costa do Marfim, no dia 24 de Maio de 2020.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.