Gana Conclui a Primeira Parte da Formação Sobre a Gestão da COVID-19, Dirigida pelos EUA

Reading Time: 2 minutes

EQUIPA DA ADF

O Gana concluiu a primeira fase de um programa de formação em gestão de casos críticos da COVID-19, promovido pelos Estados Unidos, no Centro de Doenças Contagiosas do Gana.

O programa da Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID), que formou 86 clínicos ganeses, focalizou-se na terapia de oxigénio, ventilação mecânica, gestão de vias aéreas, oxímetro de pulso, monitoria de pressão sanguínea e inserção de dreno torácico.

O programa também estabeleceu centros de cuidados intensivos em todos os hospitais regionais do Gana para reduzir a pressão sobre as unidades sanitárias durante o aumento do número de casos da COVID-19. A segunda fase da formação irá iniciar em breve, comunicou a Embaixada dos Estados Unidos no Gana, em Maio.

“Estamos ansiosos por receber o apoio que se avizinha, para levarmos esta formação para o nível do distrito nas regiões alvo, para que os níveis do sistema de saúde mais baixos possam também se beneficiar desta importante formação,” disse Dr. Stephen Dzisi, director interino dos escritórios de saúde da USAID, no Gana.

As autoridades norte-americanas concluíram a fase inicial enquanto o Gana se preparava para iniciar a segunda fase da sua campanha de vacinação contra a COVID-19, que visa inocular 360.000 pessoas em 43 distritos — 25 na Área Metropolitana de Acra, 16 em Ashanti e dois na Região Central, de acordo com o Graphic Online, do Gana.

Dr. Patrick Kuma-Aboagye, director-geral dos Serviços de Saúde do Gana, disse que havia uma demanda acima do esperado por vacinas com um sistema de marcações online.

“Iremos continuar a alimentar a população com informação sobre quando e onde devem ir,” disse Kuma-Aboagye ao Graphic Online. “Iremos também tentar certificar que o sistema de marcações de vacinações seja melhorado.”

Os Estados Unidos ajudaram a reforçar a resposta do Gana à COVID-19 desde os primeiros dias da pandemia.

Os donativos dos EUA vão desde dois hospitais de campanha, de nível II, com tecnologia de ponta, até uma instalação de tratamento gerida pelas Forças Armadas do Gana, em Acra, e uma quantidade de suprimentos médicos, numa altura em que o número de casos da COVID-19 aumentava, em Junho e Agosto de 2020.

O Comando dos Estados Unidos para África também realizou formações sobre prestação de cuidados de feridos em combate táctico, exercícios de prontidão médica e conferências de resposta à pandemia.

Gana foi o primeiro país a utilizar os drones da empresa dos EUA, Zipline, para entregar kits de testagem à COVID-19, pouco depois de o primeiro caso ter sido registado no país. Os drones transportam amostras colhidas de mais de 1.000 postos de saúde das zonas rurais para laboratórios de Acra e de Kumasi, comunicou a Reuters.

O país agora utiliza drones da Zipline para fazer a entrega de vacinas contra a COVID-19. Espera-se que até 2,5 milhões de doses sejam entregues em locais de vacinação remotos. A Zipline tem o apoio da Gavi, a Aliança das Vacinas; da Fundação UPS; e de outras organizações.

“Visto que cada dose da vacina contra a COVID-19 é tão importante, é fundamental garantir que os nossos países parceiros tenham o apoio e as ferramentas necessários para fazer a entrega de vacinas de forma eficaz e eficiente para aqueles que delas precisam,” Dr. Seth Berkley, PCA da Gavi, a Aliança das Vacinas, disse na sua página da internet.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.