Material Médico Doado Ajuda o Benin a Combater a COVID-19

Reading Time: 3 minutes

EQUIPA DA ADF

Os EUA disponibilizaram 1,2 milhões de dólares em equipamento médico e outros suprimentos ao Benin, em finais de Maio, para fortalecer a resposta do país à COVID-19.

Os itens foram distribuídos para Alibori, Atakora, Ouémé e Plateau, quatro das 12 divisões administrativas do Benin. As doações incluem 417.400 máscaras cirúrgicas, 22.568 máscaras de tecido para adultos, 3.218 máscaras de tecido para crianças, 7.400 caixas de luvas, 2.673 litros de desinfectante para as mãos, 632 termómetros infravermelhos, 169 megafones e 100 estações de lavagem das mãos.

“Estes materiais simbolizam a nossa parceria com o povo do Benin, não apenas na nossa luta contra a COVID-19, mas também na nossa parceria para um futuro mais seguro, saudável e próspero para todos,” disse a Embaixadora Patricia Mahoney, durante a cerimónia de entrega.

Os EUA estão a ajudar a fazer a entrega de equipamento de protecção e suprimentos médicos a 2.811 agentes comunitários de saúde, 316 postos de saúde e 96 centros de acolhimento de órfãos, bem como outras pessoas e portadores de deficiência física.

A entrega fazia parte dos 4,5 milhões de dólares em ajuda ao Benin desde que a pandemia começou.

Quando uma segunda vaga de infecções se propagava em Fevereiro, os EUA fizeram a entrega de pacotes de ajuda para as divisões administrativas de Atlantique, Collines e Mono. Os pacotes incluíram mais de 1.300 estações de lavagem das mãos para hospitais e escolas primárias e secundárias; máscaras e estações de lavagem das mãos para agentes comunitários de saúde; e equipamento de áudio para ajudar a sensibilizar o público sobre a COVID-19.

Os EUA também ajudaram a formar e equipar mais de 1.000 profissionais de saúde voluntários para fazerem a monitoria da COVID-19 e apoiou duas unidades de resposta rápida para darem assistência às unidades sanitárias com testagem, rastreamento de contactos e gestão de casos de pacientes.

Os EUA também investiram num programa que ajuda os beninenses a produzirem, promoverem e venderem os seus produtos para limitar a propagação da COVID-19, incluindo estações de lavagem das mãos, peças para casas de banho e latrinas. O programa ajuda os empreendedores a demonstrarem os seus produtos e a educarem o público em matérias de práticas saudáveis de higiene.

Antes da pandemia, o Benin tinha uma das taxas de acesso ao saneamento mais baixas do mundo. Apenas 11% das residências beninenses possuem um local para a higienização das mãos, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS).

Quando as infecções pela COVID-19 começaram a registar um aumento no Benin, em Outubro de 2020, os EUA distribuíram dispositivos para a lavagem das mãos, desinfectantes, luvas de látex, macacões descartáveis com capuz e batas impermeáveis para proteger os profissionais de saúde do Hospital de Formação do Exército do Benin, em Cotonou.

Os EUA também doaram equipamento e insumos para ajudar o Benin a estabelecer dois laboratórios de diagnósticos da COVID-19 em Kandi e em Lokossa.

Desde que iniciou a campanha de vacinação, em Março, o país aumentou o número de centros de vacinação de 78 para 115. Até finais de Março, o Benin tinha recebido 790.000 doses da vacina contra a COVID-19, através da COVAX, o plano global de distribuição equitativa das vacinas.

O Dr. Mamoudou Harouna Djingarey, representante regional da OMS, aplaudiu os esforços de vacinação do país.

“Eu gostaria de elogiar o Governo por ter a louvável ambição de planificar para além da visão da facilidade da COVAX, ao ter como meta vacinar até 40% da população e por dar a si própria os meios para alcançar o seu objectivo com os seus próprios fundos através da mobilização de recursos
adicionais de outros parceiros locais,” Djingarey disse na página da internet da OMS.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.