Hospital de Campanha Fortalece a Resposta do Níger à COVID-19

Reading Time: 2 minutes

EQUIPA DA ADF

Os Estados Unidos doaram um hospital de campanha, estimado em 1,6 milhões de dólares, para reforçar a luta do Níger contra a COVID-19.

As instalações de 40 camas estão equipadas com salas de pressão negativa que garantem que os pacientes possam receber atendimento médico, incluindo cirurgias, sem que o ar contaminado saia da sala. Foi entregue ao Camp Garba Hassane, em Niamey, onde formadores dos EUA ensinaram equipas nigerinas como instalar, fazer a manutenção e desmontar as instalações.

Mais tarde, o Níger irá enviar o hospital de campanha para Ouallam, cerca de 90 quilómetros a norte de Niamey.

“Este imenso esforço é um testemunho das nossas relações duradouras, assentes nos 61 anos de trabalhos conjuntos para o alcance de objectivos comuns de paz, segurança, estabilidade e prosperidade,” Embaixador dos EUA no Níger, Erick Whitaker, disse durante a cerimónia de entrega. “Isso significa que juntos, como sempre, os Estados Unidos estão aqui para estar em parceria com o governo do Níger para ajudar a garantir a saúde e a segurança dos cidadãos do Níger.”

Uma segunda vaga de infecções atingiu o país em Novembro de 2020, embora os casos estivessem a diminuir em meados de Fevereiro de 2021. O aumento coincidiu com grandes números de viajantes assintomáticos a entrarem no Níger que testaram positivo para a COVID-19, de acordo com o Ministro de Saúde interino, Botto Ahmet.

“Para achatar a curva de infecções, fortalecemos o rastreamento de contactos dos viajantes que testaram positivo,” Ahmet disse na página da internet da Organização Mundial de Saúde (OMS). “Fornecemos um pacote de resposta que compreende o tratamento, investigação, rastreamento de contactos, prevenção e controlo de infecções, assim como o aconselhamento para pacientes num único sítio. Isso ajudou com a aceitação do tratamento.”

Os funcionários da saúde também aumentaram o rastreamento de grupos de risco, tais como imigrantes e pessoas de acampamentos de refugiados, bem como pacientes da COVID-19 em isolamento para impedir a propagação do vírus. Para mitigar a situação, equipas multidisciplinares foram destacadas para regiões onde grandes grupos estavam a entrar no país, e os funcionários da saúde melhoraram a testagem.

A desinformação sobre a COVID-19 fez com que algumas pessoas no Níger se recusassem a seguir as práticas recomendadas para evitar o vírus.

“Sendo assim, a primeira medida para garantir que os números de casos continuem baixos é aumentar as campanhas de sensibilização sobre as medidas de prevenção,” disse Ahmet na página da internet da OMS. “As medidas que já se encontram em vigor devem ser mantidas e reforçadas ainda mais.”

Pouco depois da entrega do hospital de campanha, o Níger recebeu as suas primeiras vacinas da COVID-19 através da COVAX, o plano global de distribuição equitativa das vacinas. A campanha de vacinação do país foi programada para arrancar em finais de Março.

“O aumento das comunicações fez com que fosse possível enfrentar vários desafios relacionados com a pandemia,” disse Ahmet à OMS. As lições aprendidas no ano passado “precisam de ser capitalizadas e reforçadas para garantir o sucesso da campanha de vacinação,” disse.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.