‘Comboio de Esperança’ Luta contra o Vírus no Campo

Reading Time: < 1 minute

AGÊNCIA FRANCE-PRESSE

Dezenas de residentes locais perfilam-se ansiosos à medida que o comboio pára lentamente, na estação, numa zona remota da província costeira do Cabo Oriental, na África do Sul.

O famoso Comboio de Esperança veio para providenciar testes de despiste da COVID-19 num dos pontos de maior incidência do vírus na África do Sul, a partir de uma clínica móvel especialmente equipada para o efeito. 

A região do Cabo Oriental, em meados de Junho de 2020, representou 14% das infecções pela COVID-19 na África do Sul. Desde que o primeiro caso foi registado no dia 5 de Março, o país mais industrializado de África registou o maior número de casos do continente.

O comboio tinha antes operado como uma instalação de prestação de cuidados de saúde gerais, oferecendo serviços dentários, consultas de oftalmologia e serviços de aconselhamento em mais de 70 comunidades rurais da África do Sul. O comboio financiado pelo Estado foi readaptado para ser uma locomotiva de “esperança” na luta contra o vírus na África do Sul. 

O comboio, conhecido nos tempos normais como Phelophepa, que significa “saúde boa e limpa” em língua Sotho e Tswana, cruza o país durante nove meses do ano.

“Arquivamos os serviços do Phelophepa e agora estamos unicamente a lidar com a questão da COVID-19,” disse a gestora do comboio, Bheki Mendlula. 

“Agora me apercebi, de repente, que o corona[vírus] é real e penso que devo saber qual é o meu estado, saber se estou segura ou não,” disse Sinisipho Nxojelwa antes de fazer o teste.

Ela estava preocupada achando que a tia, uma enfermeira que vive com a família, pudesse ter trazido a infecção do trabalho para casa. As autoridades de saúde mobilizaram dezenas de milhares de voluntários para viajarem à procura de casos de COVID-19.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.