Matemático Queniano Prevê Vagas da COVID-19

Reading Time: 4 minutes

EQUIPA DA ADF

O matemático queniano, Dr. Shem Otoi Sam, tornou-se o oráculo da COVID-19 no seu país.

Com recurso a um modelo preditivo que ele desenvolveu, Sam encontrou uma forma de prever o aumento e a diminuição das vagas de infecções, fazendo com que ele seja uma espécie de meteorologista da pandemia na região ocidental do Quénia.

Sam, de 39 anos de idade, vai à rádio local para aconselhar os residentes da região ocidental do Quénia quando precisam de ser mais cautelosos “avisando as pessoas, a polícia e o ensino público, que ‘teremos um pico. Não queremos perder ninguém,’” disse recentemente à ADF.

Sendo ele próprio um sobrevivente da COVID-19, Sam tem conhecimento de causa sobre como uma infecção pode ser tão intensa e quão importante é prevenir que outras pessoas contraiam a doença.

O modelo de Sam ajudou a estabelecer os fundamentos para o Sistema Integrado de Dados Online do Quénia. O sistema ajuda as autoridades sanitárias do Quénia a fazerem a monitoria da disponibilidade de recursos, tais como camas das unidades de cuidados intensivos e oxigénio de alto fluxo, para que os médicos possam saber para onde enviar os pacientes. Isso ajudou a região a reduzir os picos das vagas, disse Sam.

Com todo o seu sucesso, a escolha original da profissão do Sam não era ser matemático. Ele queria ser médico.

“Eu não me via a ser matemático,” disse à ADF.

Não tendo sido capaz de ingressar logo à primeira numa escola de medicina, Sam matriculou-se para estudar matemática na Universidade de Agricultura e Tecnologia Jomo Kenyatta, com planos de mudar-se para medicina. Este plano mudou quando descobriu a estatística e a modelagem.

Hoje, possui o seu doutoramento em estatísticas sociais pela Universidade de Nairobi.

Utilizou a sua habilidade na modelagem para estudar questões como o desemprego. Entretanto, ele regressa a questões relacionadas com a prestação de cuidados de saúde, misturando o seu interesse original em medicina com o seu amor por estatísticas.

No início da pandemia, os cépticos afirmavam que a COVID-19 não afectaria África. Os resultados da primeira tentativa de Sam para efectuar a modelagem da pandemia confrontou directamente a desinformação.

“Quando o primeiro caso de Covid-19 foi descoberto no país, comecei a reflectir, comparando a taxa de infecção pela Covid-19, as taxas de mortes e de recuperações noutras regiões do mundo,” disse ao The Nation, do Quénia.

O seu trabalho demonstrou que o continente caminhava em direcção ao mesmo rumo que o resto do mundo no que diz respeito à COVID-19.

Para expandir as habilidades das suas previsões para as vagas da COVID-19, Sam adaptou um modelo matemático já existente, conhecido como ARIMA, que significa modelo auto-regressivo integrado de médias móveis. A adaptaçãopermitiu que ele expandisse a capacidade de previsão do ARIMA de cerca de um mês para oito, fazendo com que fosse possível prever as vagas de infecção com muito mais antecedência.

O objectivo era de ajudar as autoridades sanitárias a prepararem os hospitais e o pessoal de saúde para as futuras vagas.

As informacoes acerca do modelo resultante, conhecido como Modelo Otoi-NARIMA, foram divulgadas este ano na International Journal of Statistics and Applied Mathematics (Revista Internacional de Estatística e Matemática Aplicada).

O seu modelo adaptado factoriza o número de casos diários, as taxas de positividade e a média de infecções diárias para prever quando uma vaga irá iniciar, atingir o pico e terminar.

“No meu país, diziam que haveria uma vaga em Março e pronto,” disse Sam.

Sam tentou a sua primeira previsão pouco depois do primeiro caso de COVID-19 ter aparecido no Quénia, em Março de 2020. Aquela previsão demonstrou uma vaga que decorreria de Junho a Setembro, uma previsão que coincidiu de forma muito próxima com a realidade. Ele testou o seu modelo publicamente, pela primeira vez, no Condado de Homa Bay, onde fez a previsão de uma nova vaga que tem início na altura da abertura das escolas, em Outubro de 2020.

Sam disse que o seu modelo fez a previsão da terceira e da quarta vagas do Quénia ainda no início de Fevereiro.

“Dizia-me que teríamos duas vagas em 2021,” disse Sam. A sua previsão demonstrou uma vaga que iniciaria no dia 25 de Fevereiro, atingiria o pico no dia 23 de Abril, decresceria para depois atingir novamente o pico no dia 26 de Junho e para finalmente retroceder no dia 10 de Julho.

A quarta vaga começou em finais de Julho e atingirá o pico no dia 4 de Outubro, de acordo com a previsão. Sam disse à NTV que ainda não accionou o modelo para prever uma quinta vaga.

Sam agora está a trabalhar com o Comité de Personalidades Eminentes do Bloco Económico da Região do Lago, na parte ocidental do Quénia, composto por 14 membros, para ajudar o sistema de saúde da região a preparar-se para novas vagas e responder a elas quando chegarem. Também recebeu o convite para aderir ao Comité Nacional de Modelagem do Quénia, que apoia outros comités que trabalham na área de vacinações e fornecimento de suprimentos médicos.

Khama Rogo, presidente do comité, disse à ADF que o comité apoia na totalidade o trabalho de Sam e está grato pelo seu compromisso com Quénia, África e com o mundo.

As previsões ajudaram a reduzir, em termos gerais, o impacto da COVID-19 na parte ocidental do Quénia, disse Sam.

“Temos experimentado uma fraca intensidade do pico porque alertamos as pessoas com antecedência. Eles [os hospitais] preparam-se com antecedência. Por isso, não ficam sobrecarregados,” disse Sam. “Ao mesmo tempo, o meu modelo ajudou a salvar não apenas vidas, mas também os meios de subsistência.”

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.